sexta-feira, Janeiro 11, 2013

Balanço de 2012

Ao dar uma vista de olhos pelo meu desafio do Goodreads de 2012, claramente saltam dois temas dominantes no meu ano de 2012: o da fantasia e o Universo Marvel. O primeiro é simplesmente um dos meus preferidos e uma constante nas minhas escolhas de novos livros e o segundo acho que foi muito ajudado pela minha curiosidade depois de ter visto o filme dos Avengers no verão e pela colecção que o jornal público fez. 

Noto que se calhar este ano li menos livros do que em anos anteriores, e acho que foi essa sensação que me fez aumentar o desafio para 2013 de 30 livros para 50. apesar de tudo tive muitas surpresas e livros que acredito ir ler e reler uma vez mais no futuro. Por isso vou tentar seleccionar uma pequena lista dos meus livros favoritos de 2012.


Watership Down1. Watership Down de Richard Adams

Quando vi este livro nas prateleiras da Fnac não podia acreditar... as recordações de infância inundaram-me de nostalgia! Eu adorava ver o desenho-animado Watership Down e até já o voltei a rever agora, ler o livro foi uma experiência completa. Definitivamente, o meu livro favorito de 2012 foi este. Pela sua simplicidade em demonstrar o complexo, pelo entretecer das vidas de pequenos coelhos, que na sua simples existência nos conseguem maravilhar com o seu lore e aventuras! É uma escolha muito pessoal mas que acredita seja capaz de maravilhar muitos outros leitores. É um livro que retrata sensibilidades da natureza humana em criaturas mais simples, mas que nos faz pensar, como todos os bons contos de moral.




The Eye of the World (Wheel of Time, #1) 2. The Eye of the World de Robert Jordan

Adoro ler sagas, é um dos meus géneros de literatura preferidos e por isso para 2012 tinha me desafiado a começar a ler os livros de Robert Jordan e ainda bem que o fiz. Tudo me consegue cativar na escrita desta aventura, as personagens e as suas origens e motivações, os locais e o país que nos é dado a conhecer e visitar, a riqueza no detalhe é quase que incomparável (a não ser com o próprio mestre do género, Tolkien) principalmente na descrição das diferentes culturas. Para quem gosta da eterna luta do Bem contra o Mal, para quem se delicia com magia, criaturas fantásticas, perigos eminentes e romances inesperados. De tudo um pouco Robert Jordan aborda, porque de tudo um pouco é feita a vida.




The HobbitThe Lord of the Rings 3. A trilogia do Senhor dos Anéis e O Hobbit de J. R. R. Tolkien

Fã dos filmes já perdi a conta às vezes que os vi, e no dia de estreia do Hobbit lá estava. Não é possível dizer poucas palavras sobre Tolkien, toda a legião de leitores a si fieis que cada geração que se segue se cativa pelo autor é prova suficiente de que a sua obra é intemporal. Há muito que queria ler os seus livros e finalmente em 2012 consegui começar o meu desejo. Já tenho outros em espera para começar também este ano, pois é um objectivo meu conseguir comprar a obra completa do autor.



Dissolution (Matthew Shardlake, #1)4. Dissolution de C. M. Jansom 

Outro género pelo qual tenho um interesse especial é o histórico/romance, principalmente os que têm palco nos tempos da monarquia Inglesa. Dissolution foi umlivro que comprei por impulso durante o Verão, quando o bichinho pelo género de livro começava a morder, e ainda bem que o fiz. Passa-se na época da Reforma, e a personagem principal Matthew Shardlake é um advogado corcunda que é incumbido por Thomas Cromwell de investigar um assassinato num mosteiro em nome de sua majestade Henrique VIII. Muito ao estilo de "O Nome da Rosa" este livro prendeu-me à suas páginas até à última palavra. É o primeiro de uma série que de certeza vou tentar completar. 




Fahrenheit 4515. Fahrenheit 451 de Ray Bradbury  

Ray Bradbury aqui a representar outro género de preferência nos meus hábitos literários, a ficção científica. Este é outro livro que queria ler há imenso tempo. Afinal trata-se da proibição dos livros numa sociedade completamente dedicada às tecnologias. Fez-me pensar sobre o futuro dos livros e o seu real impacto na vida das pessoas através do conhecimento que conseguem transportar ao longo de séculos. Gostei particularmente do estilo de narrativa e da capacidade da escrita de me colocar no lugar do protagonista, as suas angústias quase que saltando das folhas para me confrontar com os seus dilemas. E por isso foi o meu preferido do género este ano.



Sem comentários:

Enviar um comentário